FANDOM


14anos

ESSE CONTEÚDO É PROIBIDO PARA MENORES DE 14 ANOS
CONTEÚDO: VIOLÊNCIA EM ALTO NÍVEL

TRANSCORRIDO
PDA-Ep7
Informação Geral
Estréia 08/06/2018
Série Ben 10:Poder Alienígena
Arco Instinto de Caçador
Detalhes
Originalmente Elapsed
Temporada 1
Número do Episódio 7
Número Geral 7
Episódio Anterior Revelados
Episódio Seguinte Relação de Caça
Créditos
Escrito por KillerYuri345
Dirigido por KillerYuri345
Galeria de Imagens

Transcorrido é o sétimo episódio da série Ben 10:Poder Alienígena.

Sinopse

O passado de Benjamin Kirby Tennyson é apresentado com mais profundidade, mostrando problemas, dificuldades e desafios que enfrentou, além de momentos divididos entre a felicidade e tristeza em seu emocional.

Enredo

Lembranças transcorridas. Memórias transcorridas. Um passado transcorrido. O tempo passa, muito rápido. O som do relógio, cada segundo, cada minuto, cada hora que se passa já foi passado. O tempo perdido não aproveitado ou mal usado traz arrependimentos. Porém esse tempo deve-se aproveitar ao máximo, nunca se sabe o dia de amanhã. O presente de um humano terá influência pelo passado, suas escolhas, decisões, vitórias, derrotas, erros, acertos. E junto disso o presente e o passado provocaram o futuro.

Benjamin Kirby Tennyson, 17 anos, salvou o universo diversas vezes. Quando tinha dez anos, encontrou em suas férias de verão um artefato alienígena que mais tarde mudaria sua vida. Omnitrix. Se acaso encontrá-lo, você vai se admirar. Diante de seus olhos, ele vai se transformar. Em um ser alienígena, que bota pra quebrar. Porém, o que o tornou a pessoa que ele é hoje, não é apenas o relógio. O que faz de um herói um herói, não é sua arma, mas sim sua mente e alma. Antes de combater o crime, ele teve outras dificuldades. Então diante de seus olhos, dessa vez, ele não irá se transformar, mas sim diante de seus olhos, ele antes dos seus poderes.

"Mamãe, porque o papai tá demorando?" - perguntou Ben à sua mãe quando tinha sete anos apenas, em sua casa. Ele ficava entediado de brincar com seus bonecos sem poder contar tudo para seu pai. "Não sei, querido..." - responde Sandra, num tom de voz fraco. Já no meio da noite, quase uma da manhã, Ben estava dormindo, e Sandra esperava Carl chegar sentada no sofá, ela estava muito cansada e caiu no sono. Até que se ouve um som de uma chave abrindo a fechadura por fora. Entrando na casa, Carl estava com o olho roxo, molhado pela chuva e com diversos ferimentos. Sandra então desperta. "Amor! Aí meu Deus!" - se espanta Sandra ao ver o estado do marido, indo desesperada ajudá-lo.

Cerca de uma hora antes disso, num beco escuro e a chuva forte, quatro homens de capuzes e bonés espancavam um homem amordaçado e com as mãos amarradas, batiam nele com um taco de beisebol e também lhe acertavam socos e chutes. A vítima cambaleava para os lados, tonto e ferido. Até que consegue tirar a mordaça e grita "Parem! Parem! Eu vou pagar, eu juro!" - gritava ele, Carl Tennyson, mas os homens não paravam. "Eu preciso arranjar um jeito de pagar... se eu tiver que passar por isso, tudo bem. Não posso envolver minha família." - pensava Carl, enquanto batiam nele. "Como vou arranjar tanto dinheiro... Urgh! Como dói!" - refletia Carl agoniado. Então sirenes de polícia tocam na rua silenciosa como trombetas e então os homens decidem correr. "Como...?" - se pergunta Carl, caindo no chão e desmaiando. "Há um homem caído no chão na rua 23!" - falou um dos policiais no rádio do seu carro, parando em frente ao beco, notando Carl.

Uma semana depois disso, novamente à noite, quase onze horas, Sandra e Carl discutiam. "É simples assim, Carl? Simples assim?! Como assim?" - gritou a mulher, em lágrimas. "Eu precisei, não tinha outro jeito..." - falou Carl, mais calmo, porém também chorava. "Você roubou! Esse dinheiro não é seu e você... Roubou! Por que?!" - gritava Sandra furiosa tentando se acalmar, vendo aquela situação. "Eu fiz isso pra você, e pro Ben." - tenta explicar o homem, quando Sandra dá um tapa em seu rosto. No quarto de Ben, o garoto estava deitado na cama, porém, com os olhos abertos, ouvindo toda a briga, chorando.

Dois anos depois, na rua da casa de Ben, seu avô Max foi fazer uma visita em sua casa. A campainha tocou, e o próprio Ben foi atender. "Vô Max!" - gritou de alegria surpreso com a visita do avô. Logo Sandra aparece na porta e recebe também o homem, que pergunta se seu filho estava, Carl, e ela responde apenas um não. "Não quer entrar pra tomar um café?" - pergunta Sandra. "Claro, eu adoraria." - sorri Max, entrando. "Ben, não quer assistir televisão agora?" - fala a mulher e então o garoto faz que sim com a cabeça e liga a televisão, sentando no sofá.

Na sala de jantar da casa de Ben, Sandra preparava um café. Assim que termina serve a Max. "Não, obrigado. Não tomo café e também já comi de manhã." - rejeita o velho, Sandra compreende e se senta ao lado dele, tomando seu café. "Sabe, Max, estamos passando por uma situação difícil já faz uns anos..." - Sandra dá outra golada de seu café . "Entendo..." - diz ele. "Por isso, Carl quase não para em casa..." - continuou a mulher. "Mas e o Ben?" - perguntou Max. "Tentamos fazer o que podemos para esconder dele, damos nosso melhor para ele, acho que é muito peso para sua consciência o pai quase não estar em casa. Ele se sente mais sozinho, parece..." - responde Sandra, então os dois ficam em alguns segundos de silêncio, quando Ben entra na sala. "Vô Max, você pode me ensinar a andar de bicicleta hoje?" - perguntou o garoto.

Sandra sorri pra Max e o mesmo olha para o garoto. "Claro. E quando você estiver andando sozinho, seus amigos irão olhar e sentir inveja." - responde o avô. Então mais tarde na rua, Ben tenta diversas vezes pedalar e se equilibrar na bicicleta, mas acaba caindo, até que uma vez Max vai junto com ele levando a bicicleta enquanto Ben pedala e Max solta, vendo que Ben estava andando sozinho. Sandra assistia eles da frente da porta da sua casa. "Ben é muito importante pra ele, e ele também é muito importante pra Ben..." - pensou Sandra.

Um ano depois, Ben tinha dez anos já. Era o último dia de aula para as férias de verão. Na casa de Ben, Sandra estava lá junto de Carl, eles conseguiram resolver já uma parte dos problemas financeiros. Enquanto Ben estava na escola, Carl faz uma ligação pra Max. "Oi, pai. Soube que vai ir pra um acampamento com Gwen e passar as férias com ela, tem como você levar Ben? Eu e Sandra estaremos cuidando dos nossos problemas financeiros e não terá como nós gastarmos com Ben. Sim? Obrigado, pai. Até." - conversava Carl ao telefone com Max, desligando o telefone.

E então, nesse mesmo dia, aconteceria o que mudaria a vida de Ben, e já no acampamento, na floresta de Bellwood, ele caminhava pela noite. "Que saco, não tem nada para fazer nesse lugar." - falou ele, com as mãos no bolso, chutando uma pedra, até que vê algo brilhante no céu caindo. "Uau! Uma estrela cadente!" - gritou ele surpreso e feliz, quando de repente percebe que aquilo estava vindo em sua direção. Ele tenta fugir,e o objeto misterioso acerta o chão ao seu lado, formando uma cratera e uma esfera de metal emitindo uma luz verde aparecia da poeira formada pelo impacto, ele então tenta olhar de perto.

"O que é isso?" - perguntou ele, ainda em um espaço fora do buraco, porém a terra desmorona e ele caí no local. Então aquela esfera se abre como se fosse uma cápsula e dentro dela um relógio de pulso, com detalhes em preto, cinza e verde. "Que maneiro..." - disse ele aproximando a mão do artefato, porém aquele relógio gruda em seu pulso, e Ben tenta tirar à qualquer custo, usou gravetos, dentes até que parou. Até que ele tenta entender o objeto e tenta ativar o relógio, aparecendo uma silhueta de um humanoide com quatro braços, ele vai girando e as silhuetas mudam conforme rodava, até que ele vê uma figura humanoide como se seu rosto estivesse em chamas, clicando nela, algo de diferente acontecia com ele.

Ele via seu corpo se transformar em rochas e fogo passar por elas, como antes na silhueta, uma "chama". "O que aconteceu comigo? Por que tô pegando fogo? Apaga, apaga!" - grita ele desesperado, saltitando pra tentar se apagar, ele se transformou em um alienígena. "Opa, peraí... eu tô pegando fogo e não tô me queimando. Maneiro..." - notou Ben, então lançando bolas de fogo em uma árvore, e em outra, e em outra, se divertindo, até que vê que causou um incêncio. "Oh ou..." - lamenta ele.

PROTAGONISTAS

  • Ben Tennyson
  • Sandra
  • Carl Tennyson
  • Max Tennyson

Secundários

  • Gwen Tennyson (mencionada)

ANTAGONISTAS

  • Agressores de Carl

ALIENÍGENAS

CURIOSIDADES

  • O episódio completo se passa no passado.
  • Foram revelados detalhes importantes da história original, como que Ben foi ao acampamento por pedido de Carl para poder conseguir resolver os problemas financeiros com Sandra.
  • A cena que Max visita Sandra, ao ele aceitar entrar para tomar café e depois rejeitar o mesmo, é por conta de seu gosto alimentar diferente, querendo apenas conversar.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.