Universo Ben 10 Fanfiction
Advertisement

LogoONO

Enredo[]

Daniel Silva é um garoto que descobre sua verdadeira origem:a sua origem grega!

Script[]

Eu sou Daniel Silva,tenho 12 anos e tenho 1,62m.Eu sou um pouco alto para minha idade,mas nada fora do padrão.Sou caucasiano e tenho cabelo castanho-escuro enquanto meus olhos são castanhos,mas claros.Eu amo video-games e sou muito falador,comece uma conversa comigo e eu não pararei mais.Eu moro com minha mãe,Helciane,e minha irmã,Laura,no estado de Mato Grosso do Sul,bem na capital,no Brasil.Eu sou do tipo que nunca teve vontade de sair do país,mas acredito que se me chamassem,eu iria,mas logo gostaria de voltar.
Era de manhã,o Sol estava lindo,os pássaros cantavam,o céu estava lindo e...eu estava dormindo.Não sou totalmente culpado,isso é culpa do meu cérebro.Eu sou cheio de defeitos,mal consigo ler e nem consigo ficar parado.Quando vou dormir,eu deito na cama de lado e,no outro dia,eu acordo totalmente torcido e do lado contrário da cabeceira da cama.Eu estava tendo um sonho maluco,eu estava num penhasco prestes a pular até que,uma voz suave disse:
– Continue,você deve chegar ao chão.
Ouvi um ruído enorme pelo sonho e acordei assustado.Eu levantei da minha cama e fui até o computador,liguei o monitor e vi as horas,eram 5:50.
– Finalmente,último dia de aula. - pensei.

...



Eram 6:10,eu estava com o uniforme de minha escola,que se chamava Visconde de Cairu, e estava esperando minha mãe acabar de se arrumar,assim que ela terminou de se arrumar partimos,eu disse tchau à minha Pinscher miniatura chamada Vida e partimos para o carro.Entramos no carro e minha mãe começou a dirigir.
– Pronto pro último dia de aula? - Disse minha mãe,animada.
– Sim,estou livre até o ano que vem.A única coisa ruim disso é que não vou ver meus amigos. - respondi,lembrando de todos meus amigos.
Eu sou do tipo sociável,talvez tenha puxado minha mãe que,sempre arranja alguém para conversar em uma fila.Conheço metade da minha escola.
Finalmente,chegamos à minha escola.Eu entrei e sentei no banco do pátio,eram 6:30,meus dois melhores amigos meus estavam lá.Um deles eram uma menina,a Loren,ela é morena,de cabelos escuros e longos,ela era pequena,tinha 1,54m e,por isso,ela sofria quando eu estava por perto.
– Formiga! - eu disse,debochando da cara da Loren.
– Ah não,pode parar,eu não sou formiga - ela disse com uma cara de irritação e ao mesmo tempo tristeza.
– O que aconteceu que acordou cedo?
– Minha mãe teve que sair mais cedo.
Não respondi,virei-me para meu outro amigo,ele se chama Luíz,ele era do meu tamanho e tinha cabelo e olhos castanhos.Ele tinha o cabelo estilo punk.
– E aí,cara. - disse eu,alegre.
– Fala,beleza?
– Claro,último dia de aula!

...



Depois da aula,nós três fomos até a lanchonete,onde eu sentia um cheiro estranho.Parecia cheiro de cachorro molhado.
– Estão sentindo esse cheiro? - eu disse,tentando tampar o nariz.
– Sim...sr. Banker,que cheiro é esse? - Loren retrucou.
– Que cheiro? - disse o sr. Banker.Ele era o dono da lanchonete,nós três íamos para a lanchonete dele desde que entramos no cologial.Ele era baixo para a idade dele e tinha cabelos brancos,era branco e tinha um pouco de barriga,normal para a sua idade:73 anos.
– Esse de cachorro molhado. - respondi.
Luíz parecia preocupado,mas não prestei muita atenção nele.No momento que eu estava passando maionese no meu sanduíche um barulho enorme ecoou pela rua,ouvi carros freiarem e pessoas gritarem.Eu e Loren nos levantamos e fomos ver o que era,eu estava vendo algo muito estranho.Era um leão enorme que cuspia...fogo!
– Mas o que!? - disse Loren,pasma.Sr.Banker se aproximou e se espantou.
– Crianças,venham. - disse sr.Banker fechando as portas.
– O que você tá fazendo,sr.Banker? - eu disse,irritado.
– São bandidos.O que esperava de mim?
– Bandidos?Eu vi um leão - disse Loren.
– Que soltava fogo pela boca - completei.
– Vocês estão malucos?São bandidos,devem estar fugindo da polícia. - disse sr.Banker,despreocupado.
Olhei para Luíz,não sei o por que,mas, ele estava sem agir,ele estava com cara de preocupação desde que havia dito sobre o cheiro.O que seria aquele cheiro?Seria daquele leão?
– Dan,preciso te tirar daqui. - disse Luíz,tentando se acalmar.
– Por que tá me olhando assim e falando desse jeito?Parece até o Exterminador do Futuro. - eu disse,relembrando das cenas do filme.Eu adorava aquele filme.
– É sério,precisamos sair,nós três! - gritou Luíz.
Luíz se levantou e segurou o meu pulso juntamente com o de Loren e correu.Ele nos levou até a porta dos fundos e nos escondeu do lado de um monte de lixo.
– O que se tá fazendo? - disse Loren,irritada.
– Salvando vocês... - disse Luíz,enquanto discava algum número no celular.Ele terminou de discar o número e esperou a chamada ser atendida,quando atendeu,ouvi a voz de minha mãe dizendo:"O que aconteceu?"
– Helciane,preciso levar o Daniel,agora! - disse Luíz,desesperado.
– Monstros? - disse minha mãe.
Dava para ouvir muito baixo o que ela falava.Ele continuou a conversa,eu estava maluco.Eu via que Loren também estava.Quando ele desligou o celular pegou uma moeda de ouro estranha e abriu uma torneira com água gelada no chão onde o Sol batia o dia inteiro.Criou uma névoa fina.Luíz jogou a moeda de ouro na névoa e eu não ouvi nenhum barulho de alguma coisa caindo no chão e,a moeda desapareceu na névoa.
– Como você... - tentei dizer.
– Depois explico! - cortou Luíz.
A névoa se contorceu e surgiu um homem,ele era barbudo.Luíz conversou com ele,eu não prestei muita atenção,eu tenha défict de atenção.Eu ouvi alguma hora Luíz chamar o homem de Quíron.
– Então partiremos para aí. - disse Luíz.
– Pois bem,venham o mais rápido possível! - retrucou o homem.
A névoa se desmanchou no ar.
– O que foi isso? - disse Loren,insana.
– Eu vou explicar depois e...
– Depois nada! - Loren havia se irritado - Estou cansada,Luíz!Me diz logo o que é isso,você tá nervoso e um bixo tá atacando a rua do lado!Quero explicação agora!
– Loren... - tentou dizer Luíz.
– Loren nada!Só me fala o que está acontecendo! - gritou Loren.
– Me desculpem por isso... - disse Luíz.Ele tirou algo do bolso,era um saco,ele colocou a mão lá dentro e de lá tirou um pó e jogou em nós dois.A última coisa que vi foi meus olhos se fechando enquanto eu ia ao chão.

...



Depois de muito tempo,despertei.Estava na cama ao lado da de Loren.Ela ainda estava dormindo.Eu estava numa tenda,com várias outras pessoas,só que feridas.
– Mas o quê? - pensei,totalmente confuso.
Andei um pouco até que antes de sair da tenda enorme,Luíz gritou meu nome.Eu me virei e já ia sorrir para ele,imaginando que tudo aquilo foi um sonho,só que meu sorriso se desmanchou quando vi suas pernas.
– E aí? - disse Luíz,feliz.
– Ah meu Deus! - disse eu,tentando fugir.
Do nada ele surgiu na minha frente e segurou nos meus ombros.
– Relaxa,senta aí,deixa eu te explicar! - disse ele - lembra das aulas de história do começo do ano?
– Como história vai te ajudar agora!?
– Calma,cara!A gente tava estudando sobre mitologia grega,se lembra?
– Sim...
– Se lembra que você tirou 9,32 na prova bimestral?
– Não...peraí,como você sabe?
– Eu sou seu protetor,Dan.
– Protetor?Que ridículo,você nunca encarou nem os nerds da escola.
– Eu não sirvo para te proteger de perigos desse tipo,falo do outro tipo.O mitológico.
– Quê? - Você é um semi-deus,Dan,e a Loren também.
– Então você é o Bozo também?Vamos lá,onde estão as cameras?Eu estou ao vivo na Record?SBT?
– Isso é sério,Dan.E outra coisa,não estamos no Brasil.
– Como é? - enfureci.Eu sai da tenda e vi um campo lindo,o estranho é que pessoas usavam armaduras e elmos com crinas coloridas e batalhavam.
– Onde estamos? - disse,tentando processar tudo que Luíz tinha me falado.
– Estamos nos Estados Unidos,especificamente em Long Island,em New York.
– Você só pode tá de brincadeira.E minha mãe?E suas pernas? - disse eu,enfurecido.No momento que falei de suas pernas,vi mais outros homens-bode correndo pela floresta,atrás de 'fadas'.
– Isso é sério,Dan...
– Fala sério...você tá me dizendo que sou algum tipo de monstro mitológico?Caramba,que demais!Sou quem?Um titã?Um deus?Um...
– Um semi-deus. - interrompeu o homem barbudo que eu tinha visto.
– O quê? - virei-me para ele até que me deparei com suas pernas,ele tinha cintura de cavalo e o tronco de um homem.
– Não se assuste,Dan. - disse o homem-barbudo,paciente. - Você é um semi-deus,sabe me explicar o que é um semi-deus?
– Acho que são os filhos dos deuses. - eu disse,tentando lembrar da matéria de história.Como eu odiava história!
– Exatamente.Pode me citar algum semi-deus?
– Hércules? - disse,lembrando-me do filme da Disney com o mesmo título.
– Parece que tem prestado atenção nas aulas. - disse o homem. - Aliás,meu nome é Quíron.
– Prazer,sou Daniel,mas,você já deve saber disso.
– Sim,bom.sou o diretor-centauro do Acampamento.
– Acampamento?Isso daqui é um acampamento?Faz sentido,tantas atividades.
– É o Acampamento Meio-Sangue,onde você e outros semi-deuses estão à salvo. - disse ele,compreensivo.
– Bom,já são seis horas,daqui a pouco terá o jantar,fique no chalé Y.Ele é para os que acabaram de chegar e,o pai ainda esta ocupado para assumi-lo.
– Peraí,pai?Quer dizer que meu pai vai vir para cá? - disse eu,ansioso.
– Dan,você sabe que seu pai é um deus,não é? - disse Luíz,me estranhando.
No momento que ele disse isso,eu finalmente caí na real.Para os olhos nú,eu estava contente em ser um semi-deus só que,havia me esquecido que meu pai era um deus e,não humano.Sempre fiquei à espera de que algum dia meu pai voltaria para casa.Minha expressão de felicidade se desmanchou no exato momento,um peso enorme caiu sobre minhas costas.Quíron havia me dado mais algumas instruções,mas, não prestei muita atenção,só obedeci.Fui até o tal chalé Y,ele era de mármore preto com tochas na lateral.No topo tinha um grande Y com o símbolo GAMA do lado.
– Chalé Y... - pensei - e eu pensando que meu pai voltaria para casa - no momento lembrei de toda a matéria dada por minha professora de História,os semi-deuses eram metade humanos e metade deuses,como Hércules ou Teseu,eles não tinham pai ou mãe,pois Zeus havia criado uma regra de não terem contato com seus filhos.
Entrei no chalé e me sentei na cadeira,estava a pensar em tudo aquilo.Os 12 anos que meu pai não esteve conosco.Imaginei o quanto minha mãe sofreu...não imaginei no momento se minha irmã sabia,mas como ela era de outro pai,o que estava conosco até pouco tempo.Ele havia viajado à negócios,só voltaria três anos depois.O tempo passou e Luíz passou no chalé para me chamar para o jantar,me levantei e o segui.Eu estava renovado,não estava abalado como antes.

Produção[]

  • Escrito e dirigido por: Groundmate
  • Idealizado por: Groundmate
  • Base da série de livros: Percy Jackson
Obrigado por ler,espero que tenha gostado e até o PRÓXIMO EPISÓDIO.
Advertisement