Universo Ben 10 Fanfiction
Advertisement
O Paradoxo Perdido
O Paradoxo Perdido
Informação Geral
Estréia 01/12/13
Série Ben 10: Alien Storm
Detalhes
Originalmente {{{nome original}}}
Temporada 01
Número do Episódio 01
Número Geral 01
Episódio Anterior [[{{{anterior}}}]]
Episódio Seguinte [[{{{seguinte}}}]]
Créditos
Escrito por Pedro Henrique
Dirigido por Pedro Henrique
Galeria de Imagens

É o primeiro episódio da série Ben 10: Alien Storm.

Enredo[]

    O soco o fez voar longe, um soco robótico e muito dolorido. Todo dia tinha algo tentando matá-lo, e dessa vez eram os Techadons, robôs programados para fazer o que o seu mestre mandava, e pelo menos um deles o ordenava para a Terra, para matar uma pessoa especial.
    - Certo, então lide com o Astrodactyl! – ativou o Omnitrix e se transformou no alienígena desejado.
    Voou o mais alto possível, até onde achava que era necessário para fazer o que queria, e então mergulhou, alcançando uma velocidade muito alta e começou a disparar esferas de energia de sua boca, destruindo um bocado de Techadons.
    - Tomem essa! – ele cantou vitória, deu uma cambalhota no ar e se destransformou, vendo todos os inimigos caídos e destruídos.
    - Andou treinando, Tennyson? – perguntou Kevin, que liberou sua armadura de metal.
    - Na verdade, sim, tenho. – Ben respondeu, balançando o Omnitrix para enfatizar isso, sua prima havia insistido que ele treinasse.
    - Bem, o próximo passo é a faculdade – anunciou Kevin, entrando em seu carro e enfatizando para que Gwen entrasse também.
    Ela se virou e começou a andar em direção ao carro, mas afinal, o que eles queriam dizer com faculdade? Exceto que eles estivessem planejando ir embora e deixar Ben se tornar um herói solo e...
    - Ben, nós estamos indo pra faculdade para completar os estudos – disse Gwen, vendo a sua cara de idiota.
    - Mas e as aventuras, e salvar o mundo e...
    O carro foi embora antes de ele poder ser respondido, e então compreendeu que agora ele estava sozinho, seria um herói solo, sem ninguém para atrapalhar ele. Seria incrível e emocionante, sem ninguém para gritar com ele.
    O logo do Sr. Sorvete se erguia triunfante sobre o sol da tarde, e lá Ben Tennyson bebia um sorvete, logo na sua frente estava Julie, também tomando o sorvete. O herói estava muito animado.
    - Eu vou ser um herói solo! Acredita nisso?
    - Que legal, Bem – respondeu ela, tomando mais sorvete.
    - Agora posso fazer o que quiser sem ninguém me irritar! – exclamou ele, levantando-se da mesa.
    - Tem certeza de que isso é uma boa idéia? – questionou ela.
    - Mas claro que é.
    O Omnitrix começou a piscar o que significava que alguém estava tentando entrar em contanto com o Ben. Ele deu um comando de voz para o dispositivo aceitar a ligação.
    - Ben está ouvindo?
    - Vô Max? – perguntou Ben.
    - Sim, sou eu, preciso que vocês dois venham até a Base dos Encanadores agora, estamos com problemas!
    - Eu já vou!
    Entrou no carro e chamou Julie para entrar também, afinal, ela se tornou uma encanadora oficial no ano passado, tinha direito a ver os problemas guardados na base dos encanadores. Ele começou a dirigir até o Max’s Plubing’s, onde ficava a atual entrada, ambos foram até o banheiro e desceram a descarga.
    A base encanadora era, definitivamente, grande demais para caber dentro de uma lojinha medíocre. Ben ainda ficava impressionado com o encaixe dela ali. Não era a primeira vez da Julie ali, mas ela também parecia impressionada, mas ele achava que não era por causa da base. 
    Max estava olhando um grande telão ali perto, nele se via pelo menos uma dúzia de naves vermelhas, cinzas e pretas, o formato delas era de um triângulo arredondado com um grande buraco no meio. Onde já tinha visto isso antes?
    - E então? – perguntou Julie.
    - Essas naves são uma poderosa força inimiga, que inclusive já destruiu doze planetas que não seguiram suas instruções.
    - O que eles querem? – disse Ben.
    - Estão de desacordo com o Conselho Galáctico, e não estão satisfeito com o trabalho dos Encanadores, eles querem uma revolução.
    - O próximo alvo...
    - Terra – respondeu Max, suspirando. – quero que você, Julie e seu novo parceiro acabem com isso.
    - Novo o que? – Ben quase gritou, se havia entendido bem, iria deixar de ser um herói solo. Agora teria dois parceiros de novo, e um nem conhecia.
    Não houve tempo para explicações, o alarme da base começou a apitar, era o alarme que sinalizava intrusos, havia uma pessoa que não tinha permissão para entrar ali. Foram descobrir quem é, no meio de toda a confusão. De-jà vu.
    Se depararam com o professor Paradoxo, no meio de uma parte pouco acessível do local. É claro que tinha que ser ele, ia trazer péssimas notícias no meio de uma rebelião alienígena terrível. Coisa que acontece todo dia.
    - Ah, meu jovem Bem! – ele exclamou de felicidade, gesticulando um abraço. Recusou. – quanto tempo não nos vemos! Quase 10.000 anos, talvez?
    - Fale logo o que é.
    - Você já deve recebida a notícia da rebelião, é claro – assentiu. – pois bem, um dos rebeldes, mandado pelo próprio comandante, está procurando um objeto chamado Re-Former.
    - Que seria... – Julie começou.
    - Um objeto de poderes incríveis capazes de mudar completamente á realidade do modo como conhecemos hoje.
    - E que está – continuou Julie.
    - No Centro da Criação, lar dos Sapiens Celestiais.
    - Então vamos lá.
    A nave de Rook voava pelo espaço, indo até o Universo mais próximo. Rook era o novo parceiro de Ben, que havia chegado no último segundo para participar da missão, ele se apresentou e Max explicou quem ele era. Que droga, agora tinha dois ajudantes, e um deles era a sua namorada. Como nos programas de TV.
    - Não acredito nisso, não acredito nisso – Ben reclamava.
    - Você não quer nem a minha companhia? – questionou Julie.
    - Você é legal, até que serviria no meu time, mas...
    - Chegamos – interrompeu Rook, entrando na barreira que dividia um universo ao outro.
    Paradoxo surgiu nesse momento ali. Ele estava nervoso, olhando um relógio de bolso e batendo o pé no chão, como se quisesse fazer o ritmo para uma música. Não estava funcionando muito bem, se essa era a intenção.
    - Olá, meus bons amigos. – falou ele.
    - O que foi Paradoxo? – perguntou Julie.
    - Descobri qual é o tenente que iremos enfrentar.
    - E quem seria?
    - Seu nome é Darkus, um Mayasapien, é uma espécie extinta e muito rara que pode se transformar em qualquer outra espécie e copiar parcialmente seus poderes. Ninguém nunca viu sua forma original.
    Um Aerophibiano passou voando pela janela, ele tinha um esquema de cores preto e vermelho e ia na mesma direção que eles, e nesse momento Ben soube que Darkus havia chegando primeiro que eles.

Personagens[]

  • Ben Tennyson
  • Julie Yamamoto
  • Rook Blonko
  • Kevin Leviny
  • Gwen Tennyson
  • Max Tennyson

Transformações[]

Advertisement